No clássico mineiro, Camponesa/Minas vence Dentil/Praia Clube e leva decisão pra Uberlândia

Com a ajuda da torcida e performance impecável de Tandara, o Minas conseguiu deixar tudo igual e levar decisão pra Uberlândia

Na tarde desse sábado (26), o Camponesa/Minas recebeu o Dentil/Praia Clube para o clássico mineiro do segundo confronto válido pela semifinal da Superliga. Na primeira partida, acontecida em Uberlândia, o Dentil/Praia Clube levou a melhor por 3 sets a 2. Já hoje, foi a vez do Camponesa/Minas contar com o apoio de sua torcida para vencer a partida por 3 sets a 1 com as parciais (21/25, 25/17, 25/22 e 25/22).



Foto: Orlando Bento/MTC

O terceiro e último clássico mineiro decisivo será em Uberlândia, na próxima segunda-feira às 21 horas com transmissão ao vivo do canal Sportv.

SOBRE O JOGO

O Camponesa/Minas entrou em quadra com a levantadora Naiane, a oposta Rosamaria, as ponteiras Tandara e Mari Paraíba, as centrais Carol Gattaz e Mara e a líbero Laís Vasques, que substituiu Léia por conta da lesão sofrida na primeira partida e não deverá mais retornar ao torneio. Já as visitantes do Praia Clube vieram pra o duelo com a levantadora Claudinha, a oposta Ramirez, as ponteiras Michelle e Alix, as centrais Walewska e Natasha e a líbero Tássia.

No primeiro set, o Praia Clube ignorou qualquer tentativa de ataque do Minas e já aplicou uma vantagem significante de 7/1. O Minas definitivamente estava sem saída e não conseguia reagir à pressão praiana. A líbero Laís foi bastante caçada pela circunstância de sua pouca idade e pela pressão de substituir Léia em um jogo decisivo. Porém, a jovem Laís precisou apenas de um pouco mais de concentração para achar seu melhor jogo e passar a entregar a bola na mão da levantadora Naiane, fazendo o jogo do Minas começar a fluir. Com a melhora da recepção, o Camponesa/Minas não encontrou mais dificuldades para virar bola, principalmente com a ponteira Tandara totalmente recuperada da dengue.
Tandara e Rosamaria dominaram pelo lado da capital, enquanto Ramirez vinha marcado pelo lado praiano, que ainda sim conseguiu fechar a primeira parcial em 25/21.

No segundo set, nada de moleza pro Praia Clube, que pela primeira vez saiu atrás no placar e se viu ainda mais pressionado pela torcida rival. O ritmo extremo de jogo da ponteira Tandara e da oposta Rosamaria contribuiu para o astral da equipe, que passou a bloquear mais e se ligar nas bolas pingadas pelas praianas. Tandara mais uma vez destaque. A ponteira tinha uma média de pontos excelente, uma vez que não cravasse a bola direto no chão, fazia a ação de uso do bloqueio adversário.

Quando a parcial estava em 15/5, Alix Klineman foi substituída por Pri Daroit, a fim de dar uma assistência a mais no fundo de quadra. Logo depois, Ju Costa entrou no lugar de Michelle, no objetivo de aumentar o poderio de ataque e também o fundo de quadra. A principal dificuldade do Praia Clube estava se tornando a virada de bola, a qual elas consequentemente estavam tomando o contra-ataque.

O Praia Clube voltou a reagir, após a inversão 5-1 veio pontos de saque e de contra-ataques. Porém não foi suficiente para impedir a derrota na parcial por 25/17 que terminou com o ataque da jovem atacante Karol Tórmena, que havia acabado de entrar no lugar de Mari Paraíba. 

Terceiro set iniciado e aí sim as duas equipes passaram a medir forças de forma equilibrada. Pelo lado do Minas, o jogo foi mais com as centrais, principalmente com a china forçada com a Carol Gattaz, enquanto o Praia Clube explorava Ramirez na saída de rede. O time da casa realmente passou a finalizar mais, isto é, mesmo com passe quebrado, elas conseguiram alcançar o objetivo que era pontuar e vencer o set por 25/22, virando então o marcador.

No quarto set, o jogo permaneceu equilibrado. A briga foi se tornando ainda mais acirrada, uma vez que o Minas queria fechar a partida e forçar o terceiro jogo em busca da final. Já o Praia Clube, buscava a recuperação para não levar a partida para o terceiro jogo. Com o sangue fervendo, as equipes não desistiam nem um por minuto. Minas passou à frente, Praia correu atrás. Minas dominou novamente e Praia encostou, mas não foi suficiente para impedir a derrota do set por 25/22. A ponteira Tandara foi a grande destaque da partida e foi eleita pelo público, a melhor jogadora em quadra, levando pra casa o troféu Viva Vôlei. Com esse resultado, vai ter terceiro jogo sim, lá no Arena Praia, em Uberlândia.
Compartilhe no Google+

About Juliana Amaral

Brasileira e alagoana. Proprietária e Redatora da United for Volley, estudante de Jornalismo e Design Gráfico, jogadora de voleibol e amante de música pop.

0 comentários:

Postar um comentário