Sérvia despacha Brasil e conquista primeiro título da Liga Mundial

Após bater na trave ano passado, os sérvios superaram o desfalque de Atanasijevic e conquistam título

Hoje (17), Brasil e Sérvia fizeram a grande final da Liga Mundial. Em uma revanche histórica, os brasileiros foram derrotados novamente por 3 sets a 0 com as parciais (25/22, 25/22 e 25/21). Apesar da derrota, o maior pontuador da partida foi o oposto brasileiro Wallace, com 18 acertos. Esse foi o primeiro título da Sérvia na Liga Mundial, fazendo história vencendo uma seleção forte e tradicional como o Brasil.

 Foto: FIVB

Com o fim do torneio, o Brasil manterá a preparação para os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, enquanto a Sérvia, que estará fora das Olimpíadas, deve dar folga a seus jogadores.

SOBRE O JOGO

A equipe brasileira entrou em quadra com o levantador Bruno, o oposto Wallace, os ponteiros Lucarelli e Maurício Borges, os centrais Lucão e Maurício Souza e o líbero Tiago Brendle. Já a Sérvia, iniciou a partida com o levantador Jovovic, oposto Luburic, os ponteiros Ivovic e Kovacevic, os centrais Lisinac e Podrascanin e o líbero Majstorovic.

 Foto: FIVB

Logo de início, a Sérvia mostrou-se um pouco superior, valorizando bem os contra-ataques e forçando um de seus melhores fundamentos, o saque. Por outro lado, o time brasileiro não estava contribuindo o suficiente para entrar na partida, uma vez que, erros diversos ajudaram os sérvios a dominar o placar da parcial. Sem conseguir finalizar, o Brasil seguia dando pontos à Sérvia. Lucarelli foi pro saque no 20/16 e aplicou um belo ace, diminuindo a vantagem para 3 pontos e forçando o técnico sérvio a parar o jogo. No 22/19, William e Evandro entraram na inversão 5-1 no lugar de Bruno e Wallace, beliscando um ponto sérvio e diminuindo a vantagem pra 2 pontos. Maurício Borges foi para o saque e surtiu bom resultado, quebrando a recepção e fazendo o Brasil se aproximar. Com a pressão brasileira imposta no final do set, a Sérvia pediu tempo novamente no 24/22, querendo apenas mais um ponto pra sair na frente na final. Após a parada, Maurício errou o saque e deu o ponto do set para os sérvios, fechando em 25/22.

 Foto: FIVB

No segundo set, o Brasil tentou esboçar reação no início, mas novamente deixou o rendimento cair e a Sérvia passar à frente. Nada adiantava pro Brasil. Bernardo, sem paciência, estourou seus tempos e tentava passar o máximo de orientações possível para sua equipe. Porém, havia também o mérito sérvio, que fazia uma partida brilhante e quase sem erros. A entrada do ponteiro Lipe no lugar de Maurício Borges fez o jogo brasileiro voltar a andar. Uma vantagem de 5 pontos agora foi diminuída pra 1 ponto. Quando os respectivos fundamentos de saque, bloqueio e defesa começaram a funcionar, finalmente o Brasil pôde voltar à partida e correr atrás do placar. Com 22/21, foi a vez da Sérvia mexer buscando melhorar a recepção contra o forte saque brasileiro. Desde então o Brasil voltou a se atrapalhar, perdendo a chance de passar a frente e deixaram os sérvios com o set point da segunda parcial. Sem ter muito o que fazer, os brasileiros foram novamente superados por 25/22.

 Foto: FIVB

A seleção brasileira voltou pra quadra com alteração, o central Éder entrou no lugar de Lucão. Essa nova formação deu um pouco mais de rapidez para o time brasileiro, que mesmo assim, começou atrás no placar. Parecia que não era mesmo o dia dos brasileiros. Com pontos trocados mas vantagem sempre assegurada para os sérvios, ficava cada vez mais difícil para o Brasil. A inversão 5-1 que havia sido feita na metade do set, foi desfeita na parcial 20/16. Logo depois, a Sérvia seguiu dominando e a vantagem não foi desfeita, sendo assim, o placar foi vencido pelos sérvios, que fecharam o jogo em 25/21 e levaram o primeiro título da Liga Mundial.
Compartilhe no Google+

About Juliana Amaral

Brasileira e alagoana. Proprietária e Redatora da United for Volley, estudante de Jornalismo e Design Gráfico, jogadora de voleibol e amante de música pop.

0 comentários:

Postar um comentário